Arquivo para setembro, 2015

Antes mesmo da primeira geladeira, o sorvete nasceu. O seu surgimento é cercado de controvérsias e lendas, mas a versão mais aceitável vem do outro lado do planeta, na China por volta de 1000 anos a.C. Nessa época, o sorvete era preparado com flocos de neve misturado à frutas, leite e mel. Com o tempo, a iguaria foi se aperfeiçoando e ganhando o mundo. Várias pesquisas apontam que o mundo antigo já se refrescava com o sorvete, tanto egípcios, quanto babilônios, gregos e romanos, contudo era destinado somente à nobreza por ser feito de ingredientes caros e raros. Uma figura conhecida popularizou esse tipo de delícia: Marco Polo em suas viagens pela China levou para a Europa a receita do sorvete em sua mala, que logo se tornou um incrível sucesso, ganhando o paladar de todos, começando pela Itália. Como iguaria, o sorvete foi por muito tempo relacionado à realeza e artigo determinante de poder, através de receitas guardadas à sete chaves pelos mestres sorveteiros italianos.

 A primeira sorveteria da História: ciência pura e democracia

Na época das luzes, um físico espanhol erradicado italiano, Blasius Villafranca, em 1550, viu que era mais fácil congelar suco de frutas à neve utilizando azotato de potássio (salitre) à mistura, técnica já utilizada pelos chineses desde o século 12. Daí surgiu a primeira sorveteria da História: dois recipientes de madeira e estanho – um maior, dentro do qual se colocava a mistura de neve, sal e salitre, e outro menor, que recebia os ingredientes que, depois de batidos, virariam sorvete. Com este rudimentar equipamento e utilizando um método difícil, foi realizado o primeiro sorvete solidificado da história e um artigo mais popular e democrático para todos.

Além do Atlântico o sorvete foi industrializado e, no Brasil, os primeiros brasileiros a experimentar o sorvete foram os cariocas, no furor da vinda da família real ao Brasil. Foram importadas dos EUA toneladas de gelo para a fabricação dos sorvetes. Aqui, eles ganharam uma roupagem mais tropical com sabores como o de pitanga. Outra curiosidade foi que ele contribuiu para um ato de rebeldia feminina, pois as mulheres eram proibidas de frequentar cafés, bares e sorveterias, isso causou grande comoção feminina, que lutaram para poder se deliciar com o sorvete.

O sorvete está presente em nossas vidas e quem diria que ele possui tanta história, não é mesmo? Para comemorar essa data, nada melhor que um sorvete!

 

Referências:

Sorvete – Brasil Escola

 

 

 

 

 

 

 

 

Carlos Drummond de Andrade em seu poema “A Flor e a Náusea” diz: “É feia. Mas é uma flor. Furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio”. A flor rompe o asfalto da grande cidade e faz o homem sentir uma estranheza, pois a flor é um elemento que difere de todo o cinza do concreto. A relação do homem com a Natureza não é nada sadia, visto as grandes alterações que promovem e as influencias sobre o meio ambiente. A sociedade moderna, prega o progresso a partir da fuga da natureza para as cidades, onde o homem recebe uma nova função, emprego para produzir bens e consumir sem pensar no impacto, que este estilo de vida pode exercer no meio ambiente.

Dizem que o grande mal da sociedade contemporânea é o consumo desenfreado. Por ele o homem se afastou de sua essência natural e sobrecarregou cidades com desigualdades e sofrimento. Com isso, há a devastação das florestas e o esgotamento até mesmo dos recursos renováveis, tais como a água própria para o consumo, as florestas e o solo. Além disso, os recursos não renováveis vão contando os dias para a escassez completa, tais como as reservas de petróleo e de diversos minérios utilizados para a fabricação dos mais diferentes produtos utilizados pela sociedade.

Um dos aspectos mais criticados no que se refere à sociedade de consumo é a obsolescência programada, que define-se pela produção de mercadorias previamente elaboradas para serem rapidamente descartadas, fazendo com que o consumidor compre um novo produto em breve. Desta forma, aumenta-se o consumo, mas também aumenta a demanda por recursos naturais e aumenta a produção de lixo, elevando ainda mais a problemática ambiental decorrente desse processo.

O Dia Internacional da Preservação da Camada de Ozônio

Romper com esse ciclo não é fácil, e é dever de cada um mudar atitudes no dia a dia, como: consumir conscientemente, produzir menos lixo, reutilizar materiais, reciclar, poluir menos e repassar informações para que mais pessoas possam ter a consciência de que é necessário fazer mudanças para proteger o planeta Terra. Por isso, em 1994 foi estabelecido no dia 16 de Setembro, o dia Internacional da Preservação da Camada de Ozônio, pela Organização das Nações Unidas – ONU – com a intenção de relembrar a assinatura do Protocolo de Montreal (1987).

Qual atitude que você irá tomar para fazer a diferença?
Referência:

Planeta Sustentável 

 

 

 

 

 

 

 

Costuma-se dizer que sem ela não haveria vida, e neste sentido, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, anunciou que 2015 é o Ano Internacional da Luz e das Tecnologias baseadas em Luzes. O objetivo da agência da ONU é mostrar ao mundo a importância da luz na criação de um futuro mais sustentável e pacífico.

Não só de tecnologia vive o homem, mas também de todas as manifestações artísticas que advém da iluminação da alma, dos sonhos e da linguagem universal, assim, luz e arte sempre estiveram em uma relação bem próxima, e, ao longo de sua trajetória, ela se fez importante nos diversos movimentos artísticos.

A luz, assim como a arte adentro da história, recebe voz, perspectivas e diferentes concepções. O estudo da perspectiva chiaro-scuro reflete a importância dela, como grande combinação binária entre a luz e as trevas, que conseguia expressar o pensamento que circulava nas diversas épocas. Mais que uma causa física que vemos, ela é algo de veneração, celebração e revelação. A luz é a experiência mais impactante da vida da humanidade, pois através dela se interpreta o ciclo vital do homem como a passagem do tempo. Como na tecnologia, a luz na arte demonstra o calor, a energia e a fonte de saber. Ela rompe com a expectativa e desperta a beleza.

Os mosaicos medievais, a pintura, o teatro, a fotografia e o cinema têm na luz seu fundamento. Entretanto, até o século XX, a luz pareceu sempre uma espécie de instrumento catalisador de obras de arte, nunca seu elemento principal, mas sempre presente.

A escola Pueri Domus realiza a Expoarte calcada no tema “Fiat Lux” a luz na arte. Os alunos realizaram trabalho de releitura de grandes obras da história. Assim, viram que a luz era boa e fez-se a arte!

 

 

 

Saída Pedagógica

A cultura é a expressão da construção humana e é constituída através do diálogo no dia a dia das pessoas, que, com o passar do tempo, constroem símbolos significativos que dão sentido a elas, e são compartilhados por elas. São esses elementos que formam a cultura de um determinado povo e região. A escola faz parte da construção dessa cultura.

A escola é um local de conhecimento, mediadora dos conhecimentos teóricos e da prática, e a cultura é uma forma dela. Nas escolas são trabalhadas muitas vivências, a fim de proporcionar ao aluno  um repertório para a vida. O conhecimento é mais que a lição passada em sala de aula, ele também é composto pelas experiências fora dos portões da escola.

Ao visitar algum museu, um parque ou outro local, o aluno adquire a prática social, muito importante como formadora de opiniões consistentes, reflexivas e problematizadoras. Ensinar não é apenas transmitir conhecimento, mas, é permitir ao aluno momentos de re-elaboração do saber dividido, permitindo o seu acesso a esses saberes e contribuindo para a sua atuação como ser criativo no processo histórico-cultural da sociedade.

Entende-se que a cultura é construída a partir das ações e inter-relações sociais. As pessoas fazem parte de uma sociedade e acabam interagindo umas com as outras, trocando ideias e conhecimento, desse relacionamento deriva a cultura desse povo, que foi construída com o passar do tempo. Todos juntos constroem uma história de vida, onde os hábitos e costumes, manifestações, expressões, sentimentos e outros estão inseridos, identificando cada componente dessa sociedade e determinando o seu modo de viver e de ser. Se as pessoas têm conhecimento de suas próprias raízes e conscientemente sabem da relevância das mesmas para suas vidas, passarão a valorizar esse conhecimento transmitindo-o para as gerações futuras, isso evitará que sejam esquecidas ou adormecidas. E a escola é promotora desses conceitos como forma complementar do ensino, que ajudam ampliar a visão que se tem do mundo.

 

 

Referências:

Como escolher o passeio escolar e quais são suas vantagens pedagógicas - Revista Educação

 

Os nutrientes que ingerimos são as pecinhas que formam o grande quebra-cabeça que é nosso corpo. Na Escola Pueri Domus nós fazemos questão de manter nossas crianças bem nutridas, pois assim garantimos que seus corpos e mentes tenham plenas possibilidades de funcionamento, e estejam sempre aptos a aprender e brincar. Por isso, juntamente com nossa nutricionista, formulamos um cardápio nutritivo, que contempla todas as vitaminas e nutrientes necessários para a boa alimentação das crianças, e ainda seja muito gostoso de comer!

Clique na tabela para conferir o cardápio completo de setembro:

  • (16) 3336 5333
  • |
  • contato@pueridomusararaquara.com.br
  • |
  • Avenida Vespaziano Veiga, 500 - Vila Harmonia
  • |
  • Araraquara - SP
Powered by WSI