Arquivo para dezembro, 2015

 

O Natal chegou e muitas crianças esperam ansiosamente que o Papai Noel tenha trazido dúzias e dúzias de presentes. Contudo, o verdadeiro presente de Natal são outros tipos que não se encontram em lojas. É isso que precisamos passar para nossas crianças e as gerações futuras.

Passar tempo juntos

A maioria das crianças não possui pais presentes, pois a correria que o trabalho exige e os tantos compromissos causam uma diminuição nas horas em que pais e filhos poderiam usufruir em conjunto, motivado pela falta de tempo. Um ótimo presente é o tempo que os pais podem ficar com os filhos, seja numa volta no parque, sair para brincar, assistir a um filme ou andar de bicicleta. Não importa qual o motivo, o importante é estar juntos e passarem um tempo próximos.

Uma rotina para se organizar

Um dos melhores presentes que uma criança pode receber é uma rotina estruturada. Não confunda rotina estruturada com rotina estática. Ensinar a criança a organizar suas atividades, assim como disponibilizar responsabilidades e limites a elas é uma verdadeira expressão de amor.

Animal de Estimação para amar

Um animal de estimação ensina a despertar a noção de cuidado, empatia e tornam a criança pró-social. Um amiguinho de quatro patas proporciona a sensação de segurança e reduz a ansiedade. Para completar o sentido do Natal, a dica é adotar um animalzinho abandonado, principalmente os que são mais velhinhos ou os que possuem algum tipo de deficiência.

Memórias para sentir saudades

Compartilhar boas memórias ajuda a sentir aquela saudade boa, além de relembrar os bons momentos já vividos. Certamente serão aqueles momentos relembrados no futuro, como o café da manhã em família, aquele colo num momento difícil. As memórias são importantes para construção das pessoas, vamos reviver os melhores momentos! Que tal criarem uma cápsula do tempo, com fotos e notícias de momentos que foram marcantes para a família e definir uma data para abri-la?

Limite para educar

Limite é bom é todo mundo gosta. Além de ensinar as crianças a viverem sem risco e de forma mais independente, serão grande alicerces para o transcorrer da vida toda, formando uma personalidade sólida e desenvolvendo a capacidade de olhar a vida com uma perspectiva maior.

Exemplos para o futuro

O último tópico e talvez um dos mais importantes são os exemplos. Ser honesto, tolerante, paciente, solidário ou cuidadoso, não são só nos ensinamentos morais, são características que com certeza os filhos reparam nas atitudes dos pais e irão seguir para a vida. Esse é melhor presente que pode ser oferecido.

 

Referências:

Conti Outra 

Na última semana as redes sociais foram tomadas por um vídeo em que crianças faziam um protesto junto ao síndico do condomínio em que vivem na cidade de São Paulo, o Villagio di Ravenna. A reivindicação era clara: “queremos bicicletas!”. Há dois anos houve uma proibição do uso de bicicletas, patins e patinetes pelo prédio. Para as crianças, o estopim para o desencadeamento do protesto foi a reclamação de uma das moradoras, que criticou a agitação das crianças no playground.

Com palavras de ordem, como “criança tem direito de brincar”, elas subiram nove andares do prédio e terminaram em frente à casa do síndico, contudo não tiveram coragem de falar com ele.

Haverá assembleia para decidir essa condição, principalmente com a chegada das férias. O movimento tem até liderança e organização, e as crianças pretendem voltar com os protestos e espalhar cartazes pelo condomínio afim de despertar interesses entre os outros moradores sobre a sua causa tão legítima, visto que crianças devem ter espaço para brincar livremente.

A líder do grupo diz que o prédio valoriza mais os idosos e as crianças pequenas e esquecem deles. Os pais das crianças apoiam a iniciativa dos filhos, e declararam que o síndico alega que a proibição está inserida no estatuto do prédio como um manual da boa convivência.

Mesmo com espaços como quadras e playground, as crianças se sentem oprimidas por não serem bem aceitas nesses espaços, e às vezes até expulsas das quadras pelos maiores.

Criança tem que ter voz

As crianças utilizaram uma maneira democrática de pedir seus direitos. Na forma delas e com os recursos que lhe cabem, elas cumprem o exercício da cidadania e democracia. Criança pode sim reivindicar seus direitos, e é dever dos pais e responsáveis ensiná-las sobre esses assuntos.

O empoderamento da infância tem como objetivo dar voz às crianças que têm muito a dizer mas, na maioria das vezes, são esquecidas. Com a direção certa, as responsabilidades cabíveis e respeito, elas conquistam sua posição dentro da sociedade, começando com os pedidos pelo direito de brincar dentro de seu condomínio. Criança tem direito de brincar!

 

Referência:

Folhinha

Na data de hoje, 10 de Dezembro, é comemorado o Dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Este é um marco muito importante na história, pois foi quando 58 estados assinaram um documento considerando, em seus países, todas as pessoas iguais e dignas de respeito, independente de sua raça, cor, religião, sexo, opinião, riqueza e outras condições. Mas como podemos aplicar este fato tão importante em nosso dia a dia?

Mesmo tendo sido feito há 67 anos atrás, os assuntos desse documento ainda são muito atuais, e nós podemos lembrá-los da melhor maneira possível: usando cada um desses tópicos em nosso cotidiano. Para você entender melhor, colocaremos aqui alguns dos artigos da Declaração, mostrando como fará bem para você e para o mundo seguir esses passos de paz.

 

Artigo 1º

Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade.

Explicando: Fraternidade significa afeto e carinho para com o outro. Por que não um pouco de gentileza? Sendo seu amigo ou não, toda pessoa tem sentimentos, merecendo respeito e até amor.

 

Artigo 4º

Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.

Explicando: Se já é triste para um passarinho ficar preso em uma gaiola, imagina para alguém como você, um ser humano? Todas as criaturas merecem ser livres e escolher como vão passar seu tempo.

 

Artigo 5º

Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

Explicando: Você sabia que tratar alguém mal também pode ser uma forma de machucar? Trate as pessoas ao seu redor de maneira gentil e com paciência.

 

Falando de paz no plural

 

Artigo 12

Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataques à sua honra e reputação. Toda pessoa tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

Explicando: Cada família tem o seu jeitinho e hábitos, até na hora de comer. As famílias da Índia têm costumes diferentes das da China, mas todas são muito unidas e cheias de amor, e merecem respeito independente de como se relacionam.

Artigo 18

Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular.

Explicando: Todas essas palavras difíceis significam que, independente do que o seu colega de sala acredita, ele merece tolerância. Uma sala com pessoas que acreditam na mesma coisa seria muito chato, o legal é ter gente diferente e interessante, com quem podemos fazer novas descobertas, não é?!

Artigo 25

1.     Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle.

2.     A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora de matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

Explicando: Você é capaz de imaginar não ter o que vestir, comer e uma casa para morar? Mesmo tendo direito a tudo isso, muitas crianças passam por essa situação. Doe alimentos, roupas e brinquedos para aqueles que precisam, assim, você ajudará a construir um mundo melhor.

 

É muito fácil contribuir, mesmo que pouco, para que nosso planeta e as pessoas que vivem nele tenham uma vida melhor. Lembre-se sempre de espalhar a paz, respeitando todos a seu redor e repassando tudo aquilo que você aprendeu sobre esse assunto.

Os atentados terroristas em Paris como a violência nas ruas do Brasil são episódios de desrespeito à vida, contudo, esse tipo de atitude não pode se tornar comum. Toda forma de desrespeito a alguém é violência sejam os atentados na França ou Síria, a corrupção, o governo que não respeita a Educação, a lama que destrói a natureza, e desses episódios tristes, quem sai perdendo somos nós.

As crianças estão atentas aos acontecimentos no mundo, elas têm acesso à Internet, à TV, à informação em geral. Isso não é ruim, o importante é entender como essas histórias ocorrem, a motivação que as estabeleceram e ter uma reflexão os acontecimentos, de acordo com a maturidade da criança.

Os pais podem e devem proteger os filhos pelos quais são responsáveis, evitando ações como agredir física, psicológica e moralmente as crianças. Importante conhecer os programas de televisão e jogos de videogame que eles assistem e jogam, tomando cuidado com o conteúdo violento que podem despertar comportamentos agressivos. Acompanhar como se portam em locais sociais, no convívio entre os amigos e colegas sempre atento também a situações que envolvam bullying.

Nunca trate a criança como um ser que não entende, elas compreendem as situações. Colocá-las numa redoma de vidro não é bom, contudo deve-se observar se as crianças estão atribuindo à elas a culpa pela violência.

A cultura da violência está impregnada na sociedade e a escola é um local onde esse tipo de comportamento é bem recorrente. Deve-se ter uma linguagem informal, não omitir a verdade, sempre tentar elaborar uma reflexão sobre esses acontecimentos.

As crianças são esperançosas quanto à vida, não as deixem perder isso. Relembre que há várias pessoas boas no mundo que buscam sempre por melhorias e lutam pelo fim da violência. É essencial reforçar que o respeito e a tolerância por outra pessoa, pelo que é, pelo que pensa (mesmo que não concordemos), é essencial para viver em sociedade. E, acima de tudo, aproveite estas conversas para incentivar à aprendizagem de valores de tolerância, aceitação e respeito, bem como fomentar a autonomia de pensamento, alargando o tema à vida diária da criança, com exemplos e metáforas relacionadas com a escola, os amigos, a relação familiar, etc. Cada momento difícil é uma oportunidade de crescimento e este não será exceção para os mais miúdos aí em casa.

 

Referências: Pop 

O fim de ano chegou e com ele a época de transição para muitas crianças, e para evitar ansiedade e insegurança, a primeira coisa a fazer é explicar com clareza o que vai acontecer: o tempo que passarão afastados da escola, durante as férias, e seu retorno, no ano seguinte. Para as crianças que estão mudando de fase, indo para o Ensino Fundamental II, por exemplo,  nessa nova fase a estrutura das aulas serão diferentes, com mais professores, talvez o aluno ficará um pouco perdido no começo, mas nada que não dê conta. Agora, as responsabilidades serão outras.

O próximo ano será repleto de novos acontecimentos, encontrarão novas pessoas, novos professores e novos colegas. Antes disso, o fechamento do ciclo deve ser comemorado e organizado. Sair de férias é muito bom, contudo, deve ficar atento que logo voltará às aulas.

Durante as férias, o que fazer?

Antes de cair nas férias de cabeça e tudo, separe seus livros e materiais antigos para, se precisar no ano que vem, encontrá-los facilmente. Não se desfaça integralmente dos cadernos antigos e livros, em algum momento você poderá ter que revisá-los.

Não afaste-se da leitura durante as férias. Brincar é bom e preciso, então faça da leitura seu brinquedo, mantenha a mente fresca com a leitura de livros, quadrinhos e revistas. Conheça um novo universo através da literatura!

Passeios culturais também são muito bem-vindos, visite museus, parques temáticos, feiras culturais, teatro e o cinema. São inúmeras experiências de aprendizado com prazer para se fazer nas férias. Então aproveite-as!

 

Aproveite essa fase para aprender, respirar e descansar. Logo menos tudo recomeça e um novo ciclo se inicia. Tenha em mente que serão novos acontecimentos e experiências importantes para seu desenvolvimento, por isso passe por tudo com alegria e respeito. Mudar é sempre preciso, então, que cheguem as mudanças!

http://wsi.is/rh2

  • (16) 3336 5333
  • |
  • contato@pueridomusararaquara.com.br
  • |
  • Avenida Vespaziano Veiga, 500 - Vila Harmonia
  • |
  • Araraquara - SP
Powered by WSI