Arquivo para janeiro, 2016

O céu é sempre um espetáculo, e no próximo mês, precisamente até o dia 20 de Fevereiro, um show acontecerá perante os nossos olhos, moradores da Terra. São 5 planetas que estarão alinhados e visíveis, ou seja, imperdível!

Mercúrio, Vênus, Marte e Saturno estarão alinhados juntamente com a Terra num raro evento que não ocorria desde 2005. Para presenciar esse show, basta ter um binóculo, uma carta celeste – mapa da posição das estrelas e planetas -, mirar para o norte (quem vive no hemisfério sul) ao amanhecer e buscar os planetas à direita. Vênus e Saturno serão os mais fáceis de serem encontrados. Marte se destacará por sua cor e Mercúrio exigirá mais concentração aos olhos não muito treinados. Além do mais, pode-se dizer que 2016 será um ano encantador, pois esse alinhamento irá se repetir novamente em meados de agosto, quando os planetas completam seu trânsito em volta do Sol. Depois disso, só em 2018.

O homem e o universo – sempre em constante movimento

O homem sempre buscou por significados olhando para o céu. Nos primórdios da humanidade, ele se orientava por meio dos marcos celestes e criava a sua realidade através da observação e da influência que eles traziam para suas vidas, como as fases da lua e a mudança das estações. Não possuíam muita tecnologia, mas no decorrer dos séculos, o interesse pelo céu e universo só aumentaram, levando o homem a alcançar lugares que nunca imaginara chegar, como a sonda Voyage, que atualmente viaja pelo espaço levando um pouco da humanidade consigo.

Muitos tiveram que enfrentar as imposições e uma ala conservadora da ciência que não aceitava que além da Terra, há, certamente, mundos diferentes. Assim, a visão de um acontecimento como o alinhamento não é mais visto como sinais dos deuses, e sim como algo natural, e tudo isso por base nas constantes observações.

Os planetas do Sistema Solar fazem dois tipos de movimento: a Rotação e a Translação. A rotação é o movimento que o próprio planeta realiza em torno de si mesmo, na própria órbita. Esse movimento é responsável pelas mudanças do dia para noite, assim como a formação dos ventos e das correntes marítimas. Já o movimento de Translação é aquele que o planeta Terra faz em torno do Sol, assim como os demais planetas desse mesmo sistema. Segundo os astrônomos, o movimento de translação da Terra é realizado em 365 dias e 6 horas, e influencia nas mudanças dos anos e nas estações.

Como os planetas estão em constante movimento em torno do Sol, graças a uma força chamada gravidade, é possível que alguns desses coincidam sua rota com outros, formando, assim, um alinhamento e um espetáculo para nós, meros humanos.

 

Referências:

Superinteressante

O ambiente escolar é importante para o desenvolvimento da criança, não só na parte do conhecimento, mas pessoal, pois é onde são feitas as trocas de conhecimento e afetivas. A escola é responsável pelas relações interpessoais, pelo desenvolvimento da individualidade e da autonomia do sujeito. O processo de inserção escolar extrapola o nível familiar, trazendo a criança para outro universo e possibilitando que ela aprenda a ler o mundo e suas interações.

É obrigatório que todas as crianças a partir dos 4 anos sejam matriculadas nas escolas de educação básica para iniciar o processo de alfabetização que será concluído aos 6 anos, quando o aluno ingressará no primeiro ano do Ensino Fundamental I. Contudo, algumas crianças começam a frequentar a escola mais novas, nos anos iniciais que chamamos de maternal, mas é interessante começar o processo escolar aos 2 anos, quando a criança começa a ser mais estimulada. Tanto para as crianças menores, quanto para as maiores, é um momento difícil, inclusive para os pais, principalmente no primeiro dia de aula. Geralmente, esse período inicial de aulas chama-se adaptação.

O período de adaptação

Esse momento de adaptação é crucial para o rendimento do aluno no decorrer do ano, e é neste período que as crianças conhecem o novo ambiente, as novas pessoas de seu convívio e são introduzidas a uma nova rotina.

Os pais têm uma função especial na vida escolar dos filhos. Desde os primeiros momentos (e até o final dos ciclos), é importante estarem sempre participando das reuniões, festas, apresentações, fazerem horários de estudos com os filhos e estarem sempre atentos aos sinais que as crianças ou adolescentes darão nesse processo.

A escola possui suporte para receber o aluno, que terá um contato mais expressivo com a professora responsável por aquela sala. Nesse período de adaptação, a professora irá inserir o aluno dentro das atividades, ao espaço, do convívio social com as outras crianças e à uma rotina. Em um primeiro momento, poderá haver uma resistência, que deverá ser trabalhada juntamente com os pais.

Sem culpa e sem choro

É normal que os pais se sintam culpados ou preocupados por deixarem os filhos na escola. Algumas crianças choram, mas é algo normal e saudável. O choro dura algum momento e logo é esquecido com as brincadeiras com os outros colegas. Os pais devem permanecer firmes e não ceder as chantagens dos filhos, e explicar que não fazem por mal. Neste momento, deve deixar os filhos na escola e ir embora, sem olhar para trás.

Agora já sabe: fique preparado para a volta às aulas em 2016. Dia 26 as retornam as aulas no Pueri!

 

Referência:

Educar para Crescer

“Escola forte é aquela comprometida com a formação de ‘gente forte’ em conhecimento, em competências, em responsabilidades. “ (José Pacheco – Escola da Ponte)
Senhores pais,
Mais um ano se inicia e com ele muitos propósitos, desejos e desafios. Teremos um ano de muito trabalho e contamos com sua presença, suas críticas e sugestões, pois a tarefa de educar efetivamente pressupõe parceria.
Preparamos uma reunião dia 25 de janeiro para apresentação do nosso corpo docente , assim como nossa proposta de trabalho para 2016.
Atenção para horários:

• Educação Infantil Matutino – 18h
• Educação Infantil Vespertino – 19h15
• 1°,2° e 3° ano Fundamental I Matutino – 18h
• 1°, 2° e 3° ano Fundamental IVespertino – 19h15
• 4° ano Fundamental I – 19h15
• 5° ano Fundamental I – 18h

Atrás de um vidro blindado, no Museu do Louvre, em Paris, habita o sorriso mais famoso do mundo. Quem visita a obra, costuma sair decepcionado com seus 77×50 cm e pintura já gasta com 500 anos. A pergunta que paira é: por que em meio a tantas obras, a Mona Lisa tem destaque?

Um romance policial – um pintor amador, o sorriso e a Itália

Em 1913, motivado pelo nacionalismo, Vicenzo Perruggia, um artista amador italiano, na contramão ao grande fluxo de migrações para América, foi procurar um lugar ao sol em Paris. As ideias nacionalistas o acompanharam e tiveram sentindo quando ele pensou em devolver a obra de Leonardo Da Vinci ao seu lugar merecido: a Itália, berço do Renascimento. Esse ato foi motivado por Perrugia ser inconformado com o roubo da pintura pelos franceses na Campanha Italiana por soldados do  exército de Napoleão, especializados em saquear obras de artes e levá-las à França. Por questões de incoerência histórica, a verdade é que a Mona Lisa não foi parar na capital francesa por mérito de Napoleão, e sim pelas mãos do próprio mestre, Leonardo Da Vinci.

No fim de sua vida, Da Vinci foi morar na corte do Rei François I, grande admirador de arte. Após a morte do pintor, o rei comprou todas as suas obras, inclusive a favorita, Mona Lisa. Vincenzo errou feio, mas possuía uma boa desculpa, principalmente quando foi julgado. Ele afirmava que o objetivo era devolver à pátria suas obras.

Seu plano mirabolante deixaria qualquer James Bond de queixo caído. Ele trabalhava no Louvre, nada mais propício para executar seu plano. Conhecedor dos corredores e da segurança, sabia que o museu possui 400 salas e 200 seguranças. Outro fator contribuiu para que a Mona Lisa fosse parar em seus braços: ele trabalhava na colocação da vidraçaria de proteção nas obras. Como ninguém, retirou da parede o quadro, cobriu com um tecido branco e seguiu para saída. Um mês depois, chegou na Itália e entregou a um museu o item furtado, mas foi parar na cadeia. Não permaneceu por muito tempo, pois sua intenção intensão foi nobre.

No meio tempo em que procuravam pela pintura, algumas pessoas viraram suspeitas: Picasso e Apollaire. Apesar de não estarem ligados ao roubo de Mona Lisa, eles estavam envolvidos não diretamente no roubo de algumas estatuetas ibéricas. Uma delas foi encontrada dentro da gaveta da escrivaninha de Picasso.

Essa emocionante história policial com um quê de patriotismo e erros históricos fez com que a obra, que já possuía uma certa fama, fosse levada à fama internacional.

Entenda a concepção da Obra

Com roubo ou sem roubo, a Mona Lisa foi considerada uma revolução na História da Arte e essa fama é também alimentada por diversas conspirações e teorias, como a apresentada pelo best-seller “Código da Vinci”. Contudo, o quadro é uma obra de arte e merece ter seu destaque.

Leonardo da Vinci utilizou técnicas de pinturas e perspectivas inusitadas para a época, em 1503. Uma dessas técnicas foi o sfumato, que serve para dar efeito de luz e sombra. Não foi ele quem criou a técnica, contudo foi seu percursor de maneira inovadora, oferecendo à tela um efeito mais suave e sem a marca do pincel, além de proporcionar ao sorriso da modelo esse ar enigmático, que continua a gerar diversas inquietações.

Outro ponto importante, que contribuiu para a ruptura da estética anterior, foi a representação de uma mulher com a face erguida. Geralmente, as mulheres eram retratadas sempre olhando para baixo, numa questão de submissão, tão pautada pela Igreja.

A obra também se tornou um ícone da cultura pop ao longo dos anos, começando com o artista dadaísta Dunchamp, no começo do século XX, que fez uma releitura da obra clássica pela vanguarda. Assim, a imagem se tornou parte de nossa cultura, sendo representada de várias maneiras por meio de diversas releituras.

Referências:

Fala Cultura e Milhas a Percorrer 

 

Quem não gosta de escutar ou contar histórias? Elas fazem parte da vida de todos. Aliás, todos estamos dentro de um grande livro. Cada dia uma página nova é escrita, com tantas outras aventuras. Hoje começa mais um novo capítulo com a chegada de 2016, que espera ser escrito como uma grande epopeia, cheio de heróis. Há quem ache que não tem nada para acrescentar nesta história: um grande engano, pois todos possuem uma maneira única de perceber o mundo e podem contribuir para o livro da vida crescer.

Participar da história é ajudar a mudar o mundo, todos podem fazer isso, ao seu próprio modo, incluindo as crianças, o que precisa é coragem. Não importa se a pessoa tem medo, todo mundo tem. O importante é fazer mesmo assim, isso sim é coragem. O que você pode fazer? Uma infinita porção todos os dias.

Histórias de 2015

Em 2015 muita história foi contada, e um assunto que chamou atenção, principalmente no fim do ano, foram as escolas. Muitos alunos buscaram seus direitos por meio da ocupação de suas próprias escolas. Antes lugares em que esperavam passivamente por instruções, e hoje são protagonistas do próprio saber. Aprenderam que, com uma caneta, um caderno, um livro, organização e muita vontade podem fazer do aprender algo mais prazeroso e revolucionário.

Outras crianças também protagonizaram inúmeras histórias como a Malala, Anne Frank, Samantha Smith, Louis Braille, Hector Pieterson, Iqbal Masih, Nkosi Johnson, Om Prakash Gurjar, Thandiwe Chama, Dylan Mahalingam, Katie Stagliano, Ryan Hreljac, Alexandra “Alex” Scott, Divine Bradley, entre tantos outros que escreveram uma parcela nesse livro. Você pode conhecer um pouco deles nesse link.

Agora é só pegar a caneta e escrever 2016, porque só você pode fazer isso. Não importa como, o que importa é fazer na sua proporção e do seu jeito. Que 2016 seja um ano muito mais heroico e muito mais revolucionário!

 

Referência:
Blog da Giovana Costa

  • (16) 3336 5333
  • |
  • contato@pueridomusararaquara.com.br
  • |
  • Avenida Vespaziano Veiga, 500 - Vila Harmonia
  • |
  • Araraquara - SP
Powered by WSI