Arquivo para abril, 2016

As mudanças de estação do ano são marcadas oficialmente nos solstícios e nos equinócios – os dias mais curtos e mais longos do ano. Nessa época do ano, vive-se o Outono, uma estação intermediária ao frio do Inverno e o calor do Verão. Agora, para quem estava esperando aquele friozinho que dá vontade ficar só debaixo das cobertas, uma notícia boa: ele chegou com tudo nesta semana. Uma frente fria que trouxe ar polar aqui para gente, fez com que as temperaturas caíssem e começássemos a sentir o inverno antecipado.

Frio, cobertas quentinhas, uma bebida quentinha, pode parecer o programa perfeito em dias de frio e chuva, como esses últimos. Contudo, mesmo no frio, pode-se ter grandes aventuras.

Uma atividade incrível é a contação de histórias, você pode chamar seus amigos e contar histórias, sabe aquelas que seus pais ou avós contavam para você? É um bom exercício para pôr a imaginação para trabalhar, além do tempo juntinho dos amigos. Aproveitem e tomem um chá ou um chocolate quente.

Agora para quem prefere as histórias nas telonas, já pensou em assistir aquele filme que todos falam que é muito bom? Separar o dia para comer pipoca enquanto assiste um bom filme é um ótimo programa. Outra opção é aproveitar as estreias do cinema com seus amigos, que tal?

Agora, quem não dispensa uma boa brincadeira, mas o tempo não anda muito bom para ir lá fora, uma alternativa é montar um acampamento dentro de casa mesmo. Com mantas e cobertores você constrói sua barraca.

Com a Internet e jogos on-line, muitas pessoas deixaram de lado o velho e bom jogo de tabuleiro. Mas esse tempinho frio convida para um partida. É só achar a companhia e jogar xadrez, damas ou banco imobiliário.

Outra dica é ir para a cozinha e testar receitas fáceis de dar água na boca. A internet está recheada de receitas gostosas, como bolo de caneca, chocolate quente ou brigadeiro. Com ajuda de algum adulto, você brinca de cozinheiro e prepara deliciosos quitutes.

O frio pode ser um ótimo momento para passarmos algumas horas com as pessoas que gostamos, aproveitando para aquecer a gente e nossos corações.

Vive-se num mundo em que as palavras nunca fizeram tanto sentido como agora. Navega-se por mares de informações, repletos de códigos que, sem o entendimento adequado, tornam-se uma armadilha capaz de afundar a nau do mais ardiloso navegador, causando danos severos à tripulação. Para não serem enganados pelo canto de Calipso, nem pelas belezas das sereias ou errar a rota, o astuto navegador deve saber interpretar as palavras, porque elas sabem o caminho de casa. Esse caminho só é possível de atravessar com a ajuda dos livros, que com suas muitas histórias, vão montando o quebra-cabeça dos códigos, da complexidade das informações e clareando a visão em meio às tempestades que ameaçam a navegação. Quanto mais se compreende, mais a neblina se dissipa, e logo, lá em frente, é possível ver Terra à vista.

Um bom livro pode não só mostra o caminho para casa, mas também é considerado um grande aliado para diversas ações cerebrais, como aumentar a percepção, a capacidade cognitiva e poder associativo. Algumas pesquisas de renomadas universidade investigam como a leitura de histórias afetam a estrutura do cérebro, mudando as sinapses, oferecendo a vivência das experiências que as personagens passam, como sentimentos, reflexões e até mesmo a sensação de correr. Quando experimenta-se o sentimento alheio e é possível compreendê-los, ocorre uma reflexão vinda de dentro que reflete fora da pessoa, e isso é chamado de dialética. Nela, as palavras fazem sentido ao ponto de causarem uma reflexão profunda interna e também promovem a empatia, que é quando, de certa forma, o indivíduo se coloca na posição da pessoa, podendo então entendê-la.

Sabe aqueles dias que tudo dá errado, a situação não é uma das melhores e nada faz sentindo? A ficção pode abrir uma janela nesse quarto escuro e mostrar o sol, um lugar que você tem controle e encontre uma solução real, como o conhecimento, uma ferramenta essencial para os dias de hoje que são tão repletos de verdades unilaterais e opressoras.

Dentro dessa ficção há um termo chamado distopia, que retrata um futuro desastroso para a humanidade. Esse conceito se contrapõem à utopia, definição para um mundo ideal, mas ambos conceitos têm um teor de algo distanciado da realidade. Porém, nem tanto assim. Uma obra ficcional que trata de modo distópico a realidade é o “Fahrenheit 451” do autor Ray Bradbury. O livro retrata uma sociedade que consideram os livros proscritos e condenados a queimarem na fogueira à temperatura de 451 F°, por serem considerados perigosos para a manutenção social. Essa sociedade é descrita como alienada e com os valores invertidos, salientando a massificação e a exposição excessiva da mídia, ao passo que censuram as ideias contrárias ao seu modo de vida, com a finalidade de manter superficialidade sem maiores questionamentos, que poderiam pôr um fim na opressão e domínio da sociedade.

O dia do Livro é uma data importante, comemorada no dia 23 de Abril, com intuito de incentivar a leitura a todas as pessoas. Esse ato age como um agente transformador e libertador das vidas de cada uma, para que não se percam em meio a tantas informações nesse imenso mar e consigam chegar ao porto seguro.

Impeachment

 

O impeachment é uma palavra que com certeza você deve estar ouvindo falar muito por aí. Lembra-se do nosso jogo? A eleição? Pois bem, existe uma regra que permite cancelar o jogo e retirar o presidente que elegeram. Esta regra é o impeachment. Mas, isto pode ser feito apenas a partir da comprovação de que o presidente cometeu algum crime de responsabilidade. O impeachment é previsto para casos em que há prática comprovada, por parte do presidente, de crime de responsabilidade (são exemplos: lesão ao patrimônio público e atos que coloquem em risco à segurança nacional). Para ocorrer deve ser aprovado pela Câmara Federal (deputados) e pelo Senado (senadores) [Importante: Crime de responsabilidade é diferente de crime comum (são exemplos: (homicídio e roubo)].

 

Mas, afinal, o que é ser ético?

 

A principal palavra ouvida a nossa volta é corrupção. Ao que parece nenhum político é capaz de ser ético. E assim, ouvimos a todo o momento sobre os políticos: “nenhum deles presta”. Para poder responder a esta questão precisamos primeiro entender o que é ética. Ética são os princípios que conduzem nossa ação. A ética é um ramo da filosofia que reflete sobre a ação humana. Quando você reflete sobre o que fez durante o dia está praticando a ética. Aristóteles, um importante filósofo da Grécia antiga, foi um dos primeiros a refletir sobre a ética. Aristóteles dizia que a ética – o ato de refletir sobre nossas ações - poderia nos conduzir a um estágio de felicidade.  Segundo ele, ser ético é encontrar uma forma de realizar nossos talentos, de praticar o que temos de melhor. Mas, para ele não basta dar o seu melhor de vez em quando é preciso praticar suas virtudes a todo o momento, sempre. Aristóteles, diz ainda que para ser ético é preciso três coisas: saber o que é bom (conhecer), fazer o que é bom (agir de acordo com o que pensa e fala) e fazer pelas boas razões (agir pelo bem comum e não por que irá ganhar algo em troca).

 

Não fique desplugado

- Você aprendeu que o princípio que sustenta a democracia é a igualdade, portanto, política não é coisa apenas de políticos. Todo tem o mesmo valor (1), logo, todo mundo conta. Não deixe de conhecer mais sobre a política e como ela funciona.

- Viu que no Brasil funciona o chamado presidencialismo de coalizão, e que isto significa que o presidente governa convencendo a maioria dos legisladores do Congresso Nacional. Portanto, na hora de votar é importante refletir sobre o voto no presidente e também nos deputados e senadores, pois ambos decidem o futuro da nação. Trocar o presidente e não trocar os legisladores não altera a situação política.

- Observou como a influência do dinheiro na compra de votos no Congresso Nacional e nas campanhas eleitorais é uma forma de prejudicar o convencimento como ferramenta democrática, podendo gerar formas de corrupção.

- Por fim, faça sua parte! Fiscalize os políticos não com xingamentos, mas com argumentos. Acompanhe as notícias sobre o mundo da política de forma crítica, sempre analisando a origem do órgão de mídia e o conteúdo da informação. E o mais importante: aposte no diálogo como forma de solução para os problemas!

 

Luís Michel Françoso

Professor de Filosofia na instituição Pueri Domus, Cientista Social (UNESP/Araraquara) e Mestre em Antropologia Política (UNESP/Araraquara)

 

Fontes:

Guia do Estudante (Série: Atualidades). 2015. Editora Abril.

CLÓVIS DE BARROS. 2015. Curso de Ética. USP.

ARISTÓTELES. 2000. Ética a Nicômaco. Martin Claret.

Corrupção

 

Um corrupto é aquele que troca algum tipo de vantagem (política, financeira, de informações) por dinheiro, presentes ou qualquer outro benefício. Esta é uma prática ilegal que vale tanto para os políticos em Brasília quanto para nós, cidadãos comuns. Ou seja, oferecer um chiclete para um amigo em troca da tarefa da escola é um ato de corrupção. Aceitar o chiclete, também é. Uma das formas mais tradicionais de corrupção é aquela em que se pega o dinheiro público (de todos) para algum uso particular (individual). Atualmente, no Brasil, a corrupção é responsável pelo desvio de R$ 84 bilhões de reais por ano. Para comparação: o orçamento federal para a Educação em 2015 foi de R$ 39,9 bilhões.

 

Alguém teve uma péssima ideia

 

Recordam que a eleição é um jogo? Pois bem, lembram-se que no jogo cada eleitor tem uma ficha que vale (1)? Certo, então imaginem que nas eleições no Brasil cada eleitor ao invés de uma ficha ele tem o voto. E tal, como a ficha, seu voto vale (1). Depois de certo tempo jogando as pessoas perceberam que ao invés de argumentos elas poderiam convencer os eleitores com dinheiro. Infelizmente, a compra de votos é uma realidade nas eleições brasileiras. Esta prática é conhecida como corrupção eleitoral e ocorre quando alguém oferece ou pedi dinheiro ou vantagem em troca do voto em uma eleição.

 

Exemplos de corrupção

 

Lembram-se das bancadas que citamos anteriormente? Pois bem, algumas empresas destinam milhões de reais para as campanhas dos políticos, às vezes investindo simultaneamente em candidatos com ideias completamente opostas e depois solicita ao político eleito certas vantagens, praticando assim, um ato de corrupção.  No Brasil é permitida a doação de dinheiro, por pessoas ou empresas, para campanhas eleitorais, desde que este dinheiro não seja usado como troca para obter vantagens. Outra forma de corrupção é a propina: dinheiro pago por empresários a políticos como troca para favores em licitações. Existe ainda a corrupção entre o governo e os legisladores: ocorre quando o presidente ao invés de tentar convencer os legisladores pelo diálogo prefere comprar o seu voto através de dinheiro, dois exemplos sobre este tipo de corrupção são bem conhecidos: Mensalão (2005) e a Aprovação da emenda de reeleição (1997). Segue abaixo, três exemplos atuais de corrupção:

 

Máfia dos Sanguessugas (2006): Empresários ofereceram dinheiro para legisladores superfaturarem o valor de ambulâncias no Orçamento Público do Governo Federal. Causou um prejuízo aos cofres públicos de R$ 100 milhões. Ninguém até hoje foi punido.

 

Operação Lava-Jato (2014): Esquema de desvio de dinheiro da empresa estatal Petrobrás, formado por funcionários da Petrobrás, empreiteiras e políticos.  O caso envolve o desvio de R$ 10 bilhões em dez anos. Até o momento foram 134 mandados de prisão expedidos e 93 condenações criminais. Desde a primeira das 27 fases já deflagradas, já foram recuperados R$ 2,9 bilhões para os cofres públicos.

 

Operação Alba Branca (2015): Esquema de fraude e desvio de verba da compra de alimentos da merenda das escolas públicas do Estado de São Paulo. Envolve empresários do setor de alimentos, políticos e servidores públicos. Acredita-se que o esquema tenha desviado R$ 2 milhões em recursos.  Até o momento ninguém foi preso.

 

Luís Michel Françoso

Professor de Filosofia na instituição Pueri Domus, Cientista Social (UNESP/Araraquara) e Mestre em Antropologia Política (UNESP/Araraquara)

 

Fontes:

Guia do Estudante (Série: Atualidades). 2015. Editora Abril.

CLÓVIS DE BARROS. 2015. Curso de Ética. USP.

ARISTÓTELES. 2000. Ética a Nicômaco. Martin Claret.

 

“A indiferença é o mais baixo grau de liberdade”

René Descartes

 

“A passeata contra a guitarra elétrica, enfim deu resultado,

tá todo mundo desplugado”

Zeca Baleiro

 

No lugar da violência, o diálogo.

 

Atualmente, passamos por momentos de grandes transformações políticas no Brasil, casos de corrupção são manchetes em jornais, tema de debate na TV, nas ruas e nas redes sociais. Já ouviu falar em corrupção? Operação Lava jato? Impeachment? Está um pouco confuso com tudo isto? Pois bem, veja pelo lado bom, o fato de todos estarem interessados em política é um passo positivo. Porém, também tem se tornado motivo para o crescimento da intolerância, das brigas e xingamentos entre as pessoas. Para isso nada melhor que conhecer um pouco mais sobre o que está acontecendo, reorganizar as ideias e propor um bom diálogo.

Assim, tal como aponta o professor Leandro Karnal, sempre que estiver em uma discussão política lembre-se: escape dos adjetivos e sempre utilize argumentos. Adjetivos como: “coxinha”, “petralha”, “ladrões”, “corruptos” colaboram apenas para rotular as pessoas. Na verdade, estes adjetivos encerram o debate ao invés de estimulá-lo. Nos torna surdos aos outros. Ao invés de adjetivos, adote sempre argumentos, baseados em um conhecimento sólido que você aprendeu. E não se esqueça: dialogar não é brigar, é compartilhar ideias! E o mais importante: ideias diferentes não significam o fim de uma amizade. Converse com seus amigos e aprenda com eles sempre.

 

Afinal, o que é democracia?

 

É um conjunto de regras que criamos baseado em uma ideia muito simples: a igualdade. Sendo assim, todos são considerados cidadãos tendo direitos e deveres. A democracia, portanto, é um princípio matemático em que todo cidadão tem o mesmo valor: 1. Já que todos são iguais, na democracia tudo se resolve através da maioria, aquele que agrupar o maior número de 1+1+1+1+1 (…) ganha.

Com o tempo os cidadãos perceberam que alguém deveria ser escolhido para cumprir a função de organizar a sociedade, procuravam um líder, uma pessoa com aptidões capazes de colaborar no desenvolvimento da sociedade. Este líder assumiria a função de ouvir e atender as necessidades da sociedade, os cidadãos, por sua vez, o ajudariam com pequenas quantidades de dinheiro (impostos), que somados, formariam recursos suficientes para gerar melhorias a todos. Deram o nome a este líder de presidente. Mas, para que este presidente não se tornasse um tirano e fizesse apenas “o que lhe desse vontade”, escolheram um grupo de pessoas para controlá-lo. Este grupo são os legisladores (deputados e senadores).  Então o presidente comanda, mas tudo que resolve fazer tem que pedir a aprovação dos legisladores. Na democracia elegemos o presidente e os legisladores através de um jogo chamado eleição.

 

A eleição é um jogo

 

A eleição é como um jogo onde cada participante ganha uma ficha valendo 1 ponto. O objetivo do jogo é reunir o maior número de fichas, mas para alcançar este objetivo você terá de usar seu poder de convencimento. Neste jogo você pode escolher entre dois personagens: o eleitor (que é aquele que terá de ser convencido) e o candidato (que é aquele que tem que convencer). Assim, o candidato tem que se esforçar em apresentar suas ideias aos eleitores de modo a convencê-los. O prêmio para quem receber o maior número de fichas é o de poder governar todos os demais jogadores. Mas, tenha calma, você não governará sozinho, terá de governar junto com um grupo eleito especialmente para controlar suas ações. Este grupo irá votar cada uma das suas ideias e, portanto, você precisará convencê-los para executar suas propostas. Mas, pode acontecer de presidente e legisladores não respeitarem as regras – e como você sabe todo bom jogo tem que ter um juiz – assim foi criado um grupo de juízes para garantir o cumprimento das regras.  Os juízes não são eleitos, mas sim, selecionados através de provas.

Então, atenção nas regras! Todos tem uma ficha de 1 ponto e nada mais. Não é permitido roubar fichas, nem tomá-las a força e muito menos comprá-las como se fossem mercadoria.  É permitido apenas convencer os demais jogadores a apostarem suas fichas em você. Carisma pode ajudar, mas, você precisará mais do que um bom sorriso para vencer. Para ganhar será necessário ter boas ideias e um bom discurso.

 

Presidencialismo de coalização

Muito bem, após este jogo chamado eleição, você aprendeu que o presidente não governa sozinho. Ele divide o poder com os legisladores (deputados e senadores) que votam cada uma das ideias criadas pelo presidente. O presidente, portanto, tem a tarefa de convencer os legisladores, de criar uma coalização (criar uma maioria de apoiadores) para poder cumprir suas promessas. A isto chamamos de presidencialismo de coalizão, atualmente, esta é a tarefa que a presidente Dilma Rousseff (PT) tem de realizar junto aos deputados e senadores do Congresso Nacional. Um dos grandes desafios para o presidente é criar uma coalizão entre os legisladores, dada a fragmentação dos partidos políticos no Brasil, que expressam um conjunto amplo de interesses.

Mais partidos que estrelas no céu

Tanto o presidente quanto os legisladores são membros de partidos políticos. Os partidos são importantes peças da democracia através deles os candidatos podem participar de uma eleição. Cada partido representa um projeto político diferente para o país, atualmente, o Brasil tem 35 partidos políticos.

Unidos somos mais fortes

No Congresso Nacional ficam 513 deputados federais e 81 senadores, eles formam o Poder Legislativo no âmbito federal.  Apesar de usarmos conceitos antigos como, esquerda e direita, para definir a posição dos políticos, atualmente, a maioria dos deputados do Congresso Nacional dividem-se em grupos de interesse, denominados de bancadas. As bancadas são a forma moderna de posição política, tal como esquerda e direita são posições baseadas em princípios, as bancadas são baseadas por interesses em comum. As maiores bancadas da Câmara são: ruralistas – 207 deputados, evangélica – 196 deputados, empresarial – 208 deputados e empreiteiras e construtoras – 226 deputados.

A grande família

Nos últimos anos criou-se uma estratégia entre os políticos de apoiarem seus familiares para tornarem-se políticos também. Atualmente, 238 deputados (de um total de 513) são parentes na Câmara Federal, formando assim a bancada dos parentes.

 

Luís Michel Françoso

Professor de Filosofia na instituição Pueri Domus, Cientista Social (UNESP/Araraquara) e Mestre em Antropologia Política (UNESP/Araraquara)

 

Fontes:

Guia do Estudante (Série: Atualidades). 2015. Editora Abril.

CLÓVIS DE BARROS. 2015. Curso de Ética. USP.

ARISTÓTELES. 2000. Ética a Nicômaco. Martin Claret.

Quase todo mundo gosta de beijo, sim, quase todo mundo. Há culturas que não associam esse ato a algo bom, pelo contrário, são tidos com repulsa, algo que não se deve fazer. Os pesquisadores, sempre em busca de entender o funcionamento das coisas, observaram inúmeras culturas e chegaram à conclusão que quanto mais complexas elas são, há beijos.

O beijo é algo antigo, uns dizem que faz parte da evolução, outros que remetem aos cuidados das mães no começo da humanidade, outros acham que sempre existiram, desde que o mundo é mundo. Tem gente ainda que acredita que o beijo está relacionado ao ato de cheirar e reconhecer pelo odor os indivíduos da mesma família.

Historiadores não descobriram uma data exata de quando surgiu esse tipo de demonstração de afeto, mas que teve lugar para acontecer, como provam as evidências encontradas nas paredes dos templos Khajuraho, lá na Índia, do período de 1400 a.C. E ele foi tendo vários significados durante a história, como amizade, como forma de respeito e até foi proibido em alguns lugares, levando alguns beijoqueiros para a prisão.

Durante o beijo os batimentos cardíacos aumentam, e são liberados hormônios que causam o bem-estar. Resumindo, faz um bem danado.

Prevalecente na cultura ocidental, o beijo transitou entre o sagrado até o cotidiano. Hoje as pessoas se beijam em várias situações e por diversos motivos. A maioria relacionada a momentos felizes, mas as representações artísticas também trazem o lado oposto do beijo, com significados de perigo ou mortais, como o beijo de Romeu e Julieta, entendidos pelos críticos literários como representação das armadilhas emocionais e físicas causadas com as trocas de beijos com a pessoa errada.

A Arte é a imitação da vida e o beijo, como forma de expressão do afeto humano, está lá em obras de pintura, músicas, filmes, teatro, etc, como no quadro de Gustav Klimt chamado “O Beijo”, que carrega em si toda a simbologia, poesia e a emoção do ato de beijar.

Na última quarta-feira, dia 13 de Abril, comemorou-se o dia Internacional do Beijo e a melhor forma de comemorar esse dia é dando um belo beijo em que se quer bem, vale a mamãe, o papai, os irmãos, amigos, até a professora, com certeza merece esse carinho!

Nós, do Pueri Domus, oferecemos muitos beijinhos a todos vocês!

Um francês, muitos anos atrás, queria melhores a vida de quem lia no escuro. Não, não é apenas ler com as luzes apagadas, era algo mais sério: esse francês era totalmente cego desde os seus 5 anos, quando sofreu um acidente, porém isso não foi motivo para ele não conhecer o mundo das palavras. O nome dele era Louis Braille. Ele foi inventor do alfabeto para cegos, baseado em pontos em revelo, o qual abriu as portas para muitas pessoas que não enxergam o mundo.

Ao longo da história, as pessoas que não eram consideradas inseridas no padrão, eram lançadas para fora da sociedade, e isso ocorre ainda hoje em alguns casos. Em contrapartida, algumas pessoas buscaram reverter esse quadro e assim foi com o Sistema Braile de escrita e leitura, voltado para os portadores de necessidades visuais. Como tudo na vida tem uma boa história, esta ocorreu assim: em 1821, com uma bolsa no Instituto Nacional para Jovens Cegos, Braille, então com 12 anos, conheceu um método que o inspirou para a sua produção final do sistema de leitura, o método de Charles Barbier de La Serre, oficial do exército francês.

O método acima foi criado para fins militares, para que os oficiais conseguissem ler no escuro, utilizando-se do tato. Ele não foi tão bem aceito por ser complexo demais para os militares, e logo, foi adaptado como um sistema de leitura para cegos, com o nome de grafia sonora. Para entender melhor o porquê desse método ser de importância para história, deve-se compreender que naquela época havia um outro método, não muito eficaz. Era um sistema que se baseava na leitura em relevo de letras. Embora permitisse a leitura, fazia-a muito vagarosa e complicada. Havia, portanto, uma lacuna entre a aprendizagem e a compreensão.

No princípio a leitura de Barbier ainda precisava de reajustes, mas mesmo assim Braille a fazia muito bem. Com a sua facilidade, ele se pôs a aperfeiçoar o método, diminuindo a distância da leitura e compreensão. Depois de algum tempo, em 1824, voilà, surge o Sistema Braille, a partir de um estudo profundo da grafia sonora. Ele enxugou alguns sinais que confundiam o leitor e criou uma célula de 6 pontos, dividida em 2 colunas de três pontos cada uma, que permitem a combinação em 63 maneiras diferentes. As primeiras letras (a–k) eram a correspondência dos números de 1, 2, 4 e 5. Com o acréscimo de um sinal especifico para indicar algarismos, os pontos ganham valor de 1 a 10. De k a t as letras ganham 3 pontos aos sinais das dez primeiras letras. Quando os símbolo 3 e 6 são colocados junto das primeiras letras, surgem as letras u, v, x, y e z, o w, por sua vez, é representado pelos pontos 2, 4, 5, e 6. Essa dança dos pontinhos consegue variações em várias línguas de acordo com as especificações e acentuações.

O mocinho francês, no alto de seus 17 anos, ensinava seus colegas em seu quarto, escondido, pois o novo sistema ainda não era reconhecido. Somente em 1854 o governo francês reconheceu o sistema, num ato póstumo à sua morte. Braille foi considerado, com toda razão, um herói nacional.

No dia 8 de Abril é comemorado no Brasil o dia do método Braille e relembrar essa história é combustível para inspirar mais e mais pessoas. Ler é para todos!

CARDÁPIO – NUTRI + KIDS – ABRIL/2016

OBS: OS ACOMPANHAMENTOS E SALADAS PODEM VARIAR SEM AVISO PRÉVIO

DATA LANCHE MANHÃ ALMOÇO PRATO OPCIONAL  SOBREMESA LANCHE TARDE JANTAR JANTAR
SOPA
01/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO FRANGO GELATINA DE MORANGO SUCO MACARRÃO A BOLONHESA CALDO DE FEIJÃO COM LEGUMES
BOLO DE FUBÁ ALMÔNDEGA AO MOLHO DE TOMATE SUCRILHOS COM IOGURTE
COUVE REFOGADA
FRUTA ALFACE COM CENOURA RALADA FRUTA
04/abr SUCO OU LEITE ARROZ CARNE GELATINA DE LIMÃO SUCO ARROZ COM CARNE E SELETA SOPA DE ARROZ C/ FRANGO
PÃO DE QUEIJO STROGONOFF DE CARNE PÃO DE FORMA COM REQUEIJÃO E PRESUNTO
REF. ERVILHA FRESCA  E CENOURA
FRUTA SALADA DE TOMATE COM ALFACE ROXA FRUTA
05/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO CUBOS DE FRANGO GELATINA DE MARACUJÁ SUCO BOBÓ DE FRANGO COM CENOURA E ARROZ BRANCO SOPA DE LEGUMES COM CARNE
BOLO DE ABACAXI CARNE COZIDA C/ LEGUMES, CHUCHU, TOMATE E PÃO AMANTEGADO C/ MUSSARELA
VAGEM
FRUTA SALADA DE REPOLHO MISTA, BRANCO E ROXO FRUTA
06/abr SUCO OU LEITE ARROZ BIFE GELATINA SUCO ARROZ BRANCO C/ PICADINHO DE CARNE SOPA DE MILHO VERDE
PÃO DE LEITE C/ PEITO DE PERU FRICASSE DE FRANGO PÃO DE SAL C/ QUEIJO MINAS
REF. DE LEGUMES
FRUTA SALADA MISTA DE FOLHAS C/ TOMATE CEREJA FRUTA
07/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO CARNE GELATINA DE AMORA SUCO ARROZ DE FORNO SOPA DE CALDO VERDE
PÃO CASEIRINHO C/ RICOTA FRANGO DESFIADO REFOGADO C/ERVILHAS E PALMITO PÃO DE QUEIJO
PURE DE ABOBORA CABOCHA COM ERVAS
FRUTA SALADA DE TOMATE FRUTA
08/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO FRANGO GELATINA DE CEREJA SUCO POLENTA COM CARNE MOÍDA CALDO DE FEIJÃO COM LEGUMES
MINI ENROLADO DE SALSICHA ROCAMBOLE DE CARNE C/ PRESUNTO E BROCOLIS BOLO DE CENOURA C/ CALDA DE CHOCOLATE
CHUCHU REFOGADO COM ORÉGANO
FRUTA CENOURA COM BETERRADA RALADA FRUTA
11/abr SUCO ARROZ / FEIJÃO CARNE GELATINA DE ABACAXI SUCO OU LEITE PIZZA CROCK INTEGRAL BOLONHESA CALDO DE ERVILHAS COM FRANGO
PÃO DE FORMA INTEGRAL COM REQUEIJÃO E PEITO DE PERU SOBRECOXA ASSADA PÃO DE QUEIJO
SALADA DE ABOBRINHA COM MILHO REFOGADO
FRUTA ALFACE E TOMATE CEREJA FRUTA
12/abr SUCO ARROZ / FEIJÃO FRANGO GELATINA DE TANGERINA SUCO OU LEITE FRICASSE DE CARNE MOÍDA NO POTINHO SOPA DE BATATA COM CARNE MOÍDA
PÃO AMANTEGADO C/ MUSSARELA BOLINHAS DE CARNE ASSADA COM COUVE ESCONDIDA BOLO MESCLADO
SELETA DE LEGUMES
FRUTA RÚCULA COM TOMATE CEREJA FRUTA
13/abr SUCO ARROZ / FEIJÃO FRANGO GELATINA DE LIMÃO SUCO OU LEITE FRANGO EM CUBOS COM PURÊ DE MANDIOQUINHA FRANGO COM LEGUMES EM CUBO
PÃO DE SAL C/ PRESUNTO STROGONOFF DE FRANGO PÃO DE LEITE C/ RICOTA
SELETA DE LEGUMES
FRUTA ALFACE E TOMATE FRUTA
14/abr SUCO ARROZ / ERVILHA FRESCA FRANGO GELATINA DE UVA SUCO OU LEITE BATATA RECHEADA COM CARNE E MILHO VERDE SOPA DE CREME DE LEGUMES
PÃO DE QUEIJO FILE DE FRANGO COM ERVAS PÃO CASEIRINHO C/ PRESUNTO
PURÊ DE ABÓBORA COM CENOURA
FRUTA SALADA DE ALMEIRÃO FRUTA
15/abr SUCO ARROZ / FEIJÃO FRANGO MOUSSE DE MARACUJÁ SUCO OU LEITE YAKYSOBA SOPA DE BATATA COM CARNE MOÍDA
BOLO DE CHOCOLATE LAGARTO TEMPERADO C/ TOMATE, PIMENTÃO, SUCRILHOS C/ IOGURTE
CEBOLA E AZEITONA
FRUTA COUVE FLOR COZIDA A VAPOR FRUTA
18/abr SUCO OU LEITE ARROZ FRANGO GELATINA DE LIMÃO SUCO ARROZ COM CENOURA E FRANGO EM CUBOS SOPA DE CABOCHA
PÃO DE QUEIJO MADIOQUINHA COM CARNE DESFIADA PÃO DE FORMA INTEGRAL COM QUEIJO MINAS
REFOGADO DE ABOBRINHA E MILHO
FRUTA SALADA DE AGRIÃO COM TOMATE FRUTA
19/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO FRANGO GELATINA DE MARACUJÁ SUCO ESCONDIDINHO DE MANDIOCA COM FRANGO DESFIADO SOPA DE MANDIOQUINHA
BOLO DE MANDIOCA PICADINHO DE CARNE COM MOLHO ROSE PÃO AMANTEGADO C/ PRESUNTO
BATATA BOLINHA TEMPERADA COM ERVAS
FRUTA SALADA TOMATE COM CHUCHU FRUTA
20/abr SUCO OU LEITE MACARRONADA COM MOLHO BOLONHESA CARNE GELATINA DE UVA SUCO BIFE DE CARNE MOIDA C/ ARROZ E VINAGRETE SOPA DE MACARRÃO
PÃO DE LEITE C/ MUSSARELA BRÓCOLIS REFOGADO COM TOMATE E CEBOLA PÃO DE SAL C/ PEITO DE PERU
SALADA DE FOLHAS COM PEPINO
FRUTA FRUTA
25/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO FRANGO GELATINA DE AMORA SUCO OU LEITE BARQUINHA DE CARNE COM PURÊ DE BATATAS SOPA DE MANDIOQUINHA
PÃO DE FORMA INTEGRAL COM MUSSARELA BIFE ACEBOLADO PICADINHO PÃO DE QUEIJO
ABOBRINHA REFOGADA COM TOMATE E CHUCHU
FRUTA REPOLHO BRANCO E ROXO FRUTA
26/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO CARNE DESFIADA GELATINA DE CEREJA SUCO OU LEITE MACARRONADA COM CARNE SOPA DE ERVILHAS
PÃO AMANTEGADO C/ RICOTA FRICASSE DE FRANGO BOLO DE FUBÁ
LEGUMES SOUTÉ
FRUTA ALFACE ROXA COM CENOURA RALADA FRUTA
27/abr SUCO OU LEITE ARROZ FRANGO GELATINA DE ABACAXI SUCO OU LEITE MACARRÃO INTEGRAL COM BRÓCOLIS E FRANGO CANJA DE LEGUMES COM FRANGO EM CUBOS
PÃO DE SAL C/ PEITO DE PERU STROGONOFF DE CARNE PÃO DE LEITE C/ PATE
PURÊ DE CENOURA
FRUTA VINAGRETE FRUTA
28/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO CARNE GELATINA DE TANGERINA SUCO OU LEITE BIFE A ROLÊ COM PURE DE MANDIOQUINHA SOPA DE ERVILHAS
PÃO DE QUEIJO FILÉ DE FRANGO EM TIRAS PÃO CASEIRINHO INT. C/ PEITO DE PERU
PURE DE BATATA
FRUTA REPOLHO BRANCO COM CENOURA RALADA REFOGADA FRUTA
29/abr SUCO OU LEITE ARROZ / FEIJÃO CARNE DESFIADA MOUSSE DE MORANGO SUCO OU LEITE ARROZ C/ STROGONOFE DE CARNE SOPA DE FEIJÃO
BOLO FORMIGUEIRO LINGUICINHA DE FRANGO MINI ENROLADINHO DE SALSICHA
PURE DE CENOURA
FRUTA ALFACE C/ CENOURA RALADA FRUTA

Dizem que a matemática é a resposta para entender o mundo real, e essa afirmação é a pura verdade. Principalmente quando se encontram sequências que podem até parecer coincidência ou puro acaso, mas que fazem todo o sentindo ou dão sentindo ao mundo. É o caso da sequência de Fibonacci, que é aparece desde na casca de um caramujo até em algoritmos de computador.

Leonardo Fibonacci foi um italiano do século XII que introduziu a numeração arábica na Europa, além de ter descrito uma sequência numérica, ou melhor, uma progressão de números infinita que começa com o 0 e o 1 e vai aumentando com a soma dos dois números anteriores. O impressionante é que, colocando os número em quadrado, de modo geométrico, é possível perceber a formação de uma espiral perfeita, que se apresenta em várias formas dos seres vivos ou em suas expressões. A intenção de Fibonacci não tinha fins tão científicos, como de costume nessa época, os problemas matemáticos eram para um simples divertimento, como no probleminha dos coelhos: “Um homem põe um casal de coelhos dentro de um cercado. Quantos pares de coelhos serão produzidos em um ano, se a natureza desses coelhos é tal que cada mês um casal gera um novo casal, que se torna produtivo a partir do segundo mês?” A resposta está na formação dos casais pela ordem da progressão de Fibonacci.

Esse número também aparece na arte, arquitetura ou diversas expressões humanas, como na poesia e é chamado de “proporção áurea”, pois oferece uma visão agradável aos olhos. Seu valor é de 1,618 e segue a mesma lógica da numeração descrita acima, sempre somando os dois últimos números. O Parthenon, a Monalisa, a Eneida são alguns dos exemplos do uso desse arranjo matemático, que, com a necessidade da praticidade, no mundo contemporâneo, passou a ser utilizado na criptografia presente na Internet e segurança dos cartões, por exemplo.

  • (16) 3336 5333
  • |
  • contato@pueridomusararaquara.com.br
  • |
  • Avenida Vespaziano Veiga, 500 - Vila Harmonia
  • |
  • Araraquara - SP
Powered by WSI