Arquivo para abril, 2013

 

O meu pai era paulista

Meu avô pernambucano

O meu bisavô, mineiro

Meu tataravô, baiano

Meu maestro soberano

Foi Antônio Brasileiro

(Chico Buarque de Holanda. Paratodos. BMG Internacional,1993)

Assim, o 4° ano do Ensino Fundamental da Escola Pueri Domus iniciou seus estudos sobre migração e imigração, memória, cultura, identidade e sociedade, no seu aspecto histórico e geográfico.

E, para encerrá-lo organizamos um Chá dos Avós, ponto culminante desse processo exclusivo para avós, filhos e netos, pois graças à forte relação de afeto existente entre eles, conseguimos garantir, em um bate-papo informal, que as histórias ali contadas se tornem referências importantes para que as crianças percebam as mudanças que ocorrem, através do tempo, em vários aspectos da vida das pessoas e dos costumes.

O Chá está marcado para o dia 2 de maio às 18h30 nas dependências da Escola com a participação do Círcolo Italiano.

 

No convite a marca do carinho e reconhecimento aos avós…

 

*Evento exclusivo para os alunos e familiares do 4 ano

feira do livro

 

Esta semana realizamos no Pueri Domus Araraquara mais uma edição da FEITEK. Este evento faz parte do calendário anual de nossa escola.

O evento que ocorre sempre no primeiro trimeste de cada ano, tem como objetivo incentivar a leitura, por isso são apresentados na feira lançamentos bibliográficos, venda e troca de títulos.

Para que a feira tenha material suficiente para ser apresentado, contamos com a parceria de algumas livrarias da cidade. Este ano tivemos a participação da livraria Machado de Assis.

O evento que é aberto a comunidade conta com o envolvimento dos nossos alunos, todos participam da compra e troca dos livros. A turma do Ensino Fundamental I faz exposições de releituras dos livros que foram lidos no 1° trimestre também.

A FEITEK possui um ciclo de palestra e nossos alunos do Ensino Fundamental e Ensino Médio participaram destas apresentações com importantes convidados.

Um dos convidados da FEITEK deste ano foi o cartunista, Daniel Pedrosa, que falou sobre a produção dos cartoons, assunto que prendeu a atenção dos alunos. Atualmente, o cartunista, faz trabalhos para o jornal Tribuna Impressa, de Araraquara, e para a Revista “Recreio”.

Para falar sobre a importância da escrita para o vestibular e mercado de trabalho, tivemos a participação da Doutora em Letra, Bruna Biasioli de Freitas, que é professora das renomadas universidades, Unicamp e Uniara. Os alunos ganharam muito conhecimento sobre o tema e isso enriqueceu a preparação para quem vai prestar o vestibular este ano.

Nosso terceiro convidado para o ciclo de palestras foi o jornalista, Daniel Barreto. Daniel que é especialista em fotográfias, nos apresentou a importância da leitura de imagens. Usando um ditado popular, “uma imagem diz mais que mil palavras”.

 

Como surgiu a FEITEK

 

Feira do livro

 

A Feira de Livros é um evento tradicional do Pueri Domus e realizado antes de 1972, em parceria com a Casa do Livro, com o intiuto de estimular a leitura.

A feira se transformou em um sucesso e devido a repercussão que ela gerava entre a comunicadade, em 1972 foi criado um concurso para escolher um nome oficial para a feira. Um comissão foi formada para avaliar os nomes sugeridos pelos alunos do Pueri Domus e o título vencedor foi o que usamos até hoje: FEITEK. O nome escolhido tem um porquê, seu siginificado é FEI  de feira  e  TEK do grego bibliotéke.

 

Quem ganha com a FEITEK?

 

 

Todos! Compartilhar cultura, informação e convivência é algo que só agrega valores aos nossos alunos e a comunidade.

Ver todos os alunos empenhados na feira e a participação da comunidade é algo gratificante para nós que trabalhamos com a transmissão de conhecimento.

tribos indigenas

 

Nosso país já chegou a ser habito por cerca de cinco milhões de índios antes de seu descobrimento pelo povo Europeu. Nossos índios era divididos por tribos, de acordo com o tipo de língua falada.

As tribos eram dividas da seguinte forma: na região litoral do Brasil ficavam os índios, tupi-guaranis, no planalto central estavam localizados os macro-jê ou tapuias e a Amazônia era o território dos aruaques e caraíbas.

Hoje estima-se que haja 400 mil índios no Brasil, que vivem em reservas indígenas demarcadas e protegidas pelo governo, são cerca de 200 etnias indígenas que falam 170 línguas diferentes.

Sabemos muito dos costumes dos índios que habitam o país durante o descobrimento, devido a carta que Pedro Vaz de Caminha escreveu sobre a diferente cultura e também devido aos documentos dos jesuítas.

Como sabemos os índios que habitam o país em 1.500 viviam da pesca, caça e de uma agricultura rudimentar. Seu principal cultivo era a mandioca, porém também plantavam milho, amendoim, feijão, abóbora e bata-doce.

Outra característica indígena era a utilização de chás e ervas para curar doenças. Os índios possuem uma sociedade diferente em relação ao homem branco. Nas tribos não existem classes sociais, todos tem direito ao mesmo tipo de tratamento. Apenas duas figuras possui um papel de destaque na tribo, o cacique e o pajé. O cacique é quem orienta e organiza os índios, ele é o chefe, a figura mais importante. O pajé é o sacerdote, é ele quem faz os rituais, curas e recebe as mensagens dos Deuses.

A educação dos índios também é feita de forma diferente da nossa. Eles aprendem por observação. Os curumins, como são chamados os pequenos índios, aprendem de forma prática e treinam desde cedo. Quando os pais saem para a caça ou pesca levam consigo os curumins.

Os índios ingressam na vida adulta entre os 13 e 14 anos, quando passam por um teste e ritual especifico.

Apesar das diferenças culturais entre o povo branco e os índios, todos nós devemos conviver em harmonia, pois o primeiro povo a habitar o Brasil tem muita a nos ensinar.

 

escola araraquara

Para muitos a opção de acordar cedo para ir à escola parece algo muito chato. E ainda mais ter todas aquelas aulas, exercícios e atividades para fazer depois, não é nada legal, não é?

É isso que passa pela cabeça de vocês quando o celular desperta logo pela manhã ou melhor de madrugada, para que você acorde e não perca o horário de ir para a escola? Bom, mas já tentaram olhar tudo por outra perspectiva? Quantas perguntas!

Acordar cedo para ir à escola, não é tão ruim assim. Afinal, é lá que você encontrará seus amigos e passará momentos bem divertidos. Onde mais você iria passar bilhetinhos escondidos, com mensagens que só você e seus amigos entendem?

É na escola que descobrimos nossos gostos e projetamos nosso futuro. Há sempre uma matéria que você irá gostar mais e outras que talvez pareçam “grego” para você, mas todas elas serão importantes ao longo do caminho.

Quando sentir dificuldade em uma matéria, faça disso uma boa desculpa para reunir os amigos. Um grupo de estudo fortalece a amizade e compartilha o conhecimento. Seja em física, matemática, química, ciências ou português, sempre temos um amigo que se sobressai em algumas destas matérias da escola. E depois que terminarem de estudar façam uma sessão cinema e continuem a diversão.

Também é na escola que acontecem as melhores crises de risos nas horas mais improprias, onde fazemos as excursões inesquecíveis e por pior que seja acordar cedo, é lá que queremos estar todos os dias.

Um dia, quando estiverem na faculdade, ou já tiverem se formado e trabalhando vão se lembrar com nostalgia da época da escola. E será inevitável falar “quando eu estava na escola minha única responsabilidade era acordar cedo e tirar nota”.

Por isso, alunos, aproveitem essa fase importante da vida e os momentos em que estão na escola. Tudo isso passa tão rápido e logo será apenas uma boa lembrança.

livros literatura

 

Livros! Quem não gosta? Não existe sequer uma pessoa que nunca tenha pelo menos folheado um. Livros de imagens, livros com palavras, infantil ou para adultos, são sempre fonte de conhecimento.

Há quem diga que nunca se está sozinho quando se tem um livro por perto, e essa frase é pura verdade. Não há como se sentir sozinho com os inúmeros personagens das histórias, existem alguns que tem o dom de conversar conosco, simples leitores.

Os livros nos permitem viagens fascinantes, por lugares incríveis, em mundos nunca habitados ou descoberto, e dentro de nós mesmo. Ler é viajar sem sair do lugar.

Há histórias para rir, para chorar ou ainda há livros para conhecer. Em uma sala de aula usamos os livros que nos permite aprimorar o conhecimento, desenvolver nosso intelecto e sabedoria. São livros da língua portuguesa, matemática, com todas as suas formulas e cálculos; os livros de química e física, com teorias e tabelas; biologia, que nos ensina a vida, além do de geografia e história, que nos faz voltar ao passado sem uma maquina do tempo, e nos leva a outros continentes sem que para isso precisamos de um meio de transporte.

E os livros de literatura? Esses só são impostos a leitura enquanto estamos na escola ou quando vamos prestar um vestibular. Já existe uma lista pré-definida e normalmente não são os que mais gostamos.

Mas as histórias contidas nos livros podem mudar nossas vidas, pois nos envolvemos com os personagens, nos identificamos com as historias, e trazemos alguns ensinamentos para nossa vida cotidiana.

Imaginar a história em nossa cabeça, desenhar o personagem e os lugares é aguçar nossa criatividade e o poder de interpretação. É adicionar conteúdo a nossa mente. Os livros são poderosos sem usar mágica alguma.

Ler é ganhar o mundo sem precisar de um passaporte.

  • (16) 3336 5333
  • |
  • contato@pueridomusararaquara.com.br
  • |
  • Avenida Vespaziano Veiga, 500 - Vila Harmonia
  • |
  • Araraquara - SP
Powered by WSI