Arquivo para agosto, 2015

 

A infância é um momento que gera muitas lembranças, é a época das descobertas, das mais doces lembranças, das brincadeiras e dos primeiros passos. Muito importante para toda a vida, a Infância tem até um dia comemorativo,  que é celebrado todo  dia 24 de Agosto.

Nessa época, que passa rapidamente, as brincadeiras possuem grande importância para o desenvolvimento intelectual e emocional. Além disso, todo o processo social, histórico, tecnológico e comunicativo, passa pelas brincadeiras de criança, feita por elas e para elas.

Todo o universo compõe o imaginário da criança, e é a partir dele que se compõe o conhecimento do mundo. Os olhares das crianças enxergam um mundo com encanto e diversas possibilidades, e a partir delas se aventuram por seus inúmeros pequenos mundos de grandes histórias. Por isso, o tempo de brincar é sagrado e deve ser preservado para que mais crianças tenham a possibilidade de se desenvolver plenamente e com muita saúde. O tempo da criança é sem pressa, não somente para a garantia de futuro, mas pelo presente, que tenha a oportunidade de sentir o mundo com todas as suas cores, cheiros, sensações e texturas.

Para aproveitar o tempo de ser menino, as brincadeiras são imprescindíveis. Hoje em dia é mais difícil se afastar um pouco do computador, da tv, dos jogos eletrônicos e internet e sair para correr, sentir a chuva, a terra, a natureza, mas é necessário. Deve-se ensinar a eles como aproveitar ao máximo o tempo de ser criança, sem as cobranças de um adulto ou comportamentos fora da idade, mesclando tecnologia com passeios e brincadeiras ao ar livre.

A infância deve ser vivida, respeitada e aproveitada e a melhor forma de fazer tudo isso e guardar na memória é brincando. Por isso, vamos brincar bem e brincar sempre. Divirta-se muito e celebre a sua infância!

 

Referências:

G1

 

O futebol, desvirar o chinelo, fazer o sinal da cruz ao passar em frente de uma igreja, festa junina, agosto mês do cachorro louco, figa, Saci, carnaval, oxente, o que é o que é? Todas essas coisas possuem uma ligação, e você sabe qual é? Todas elas formam a identificação de um povo, e essas são algumas das muitas manifestações existentes no Brasil.

O que faz você se identificar com um povo? A identidade cultural que existe num determinado contexto são um conjunto vivo de relações sociais e patrimoniais simbólicas, historicamente compartilhadas, que estabelecem comunhão de determinados valores entre membros de uma sociedade. A construção da identidade de um povo é complexa e transita por diversas manifestações que podem acontecer tanto na fala como na participação de certos eventos.

O folclore, comemorado dia 22 de agosto no Brasil, faz parte da identificação de um povo, pois ele expressa a cultura da sociedade, que é a somatória de costumes e tradições, ou seja, um jeito próprio de ver, entender, participar e ser o mundo. Os conceitos das tradições e valores são passados de geração a geração, e todos os povos possuem os seus. A noção de folclore não é estática, ela muda conforme o tempo. Embora se enraíze em tradições da antiguidade, sofre transformações no contato com outras culturas distintas, migrações, através dos meios de comunicações e da globalização. A herança folclórica de uma nação é algo de valor inestimável e deve ser preservada e passada adiante à futuras gerações.

A importância da cultura é imensa para a construção do homem, com ela é possível criar laços. Uma coisa que você aprendeu com seu avô, uma brincadeira como futebol de botões, é uma herança cultural que irá fazer parte de sua consciência social. A consciência é tudo aquilo que faz parte do campo do conhecimento, percepção e confirmação de sua própria existência.

Essas expressões que compõem o folclore brasileiro, assim como em outras culturas, são uma forma de catarse. A palavra catarse vem do grego e significa purificação, então quando diz que o folclore é uma forma de catarse, significa que ela é uma forma extrema de arte. A arte, por sua vez, é a forma que o homem tem de expressar tudo aquilo com que ele se identifica. Portanto, folclore é uma das mais importantes expressões produzidas pelo homem, uma forma de liberdade, uma emoção, que pode ser sentida por todos. Isso é o coletivo cultural, quando todas as pessoas que vivem num determinado contexto se identificam e expressam suas emoções através da arte do folclore.

Referência

Brasil Escola

 

Nesta semana cruzou os céus a chuva de meteoros Perseidas, a chuva de meteoros mais intensa desse ano. As Perseidas são detritos produzidos do cometa Swift-Tuttle, astro que passa pelas redondezas do Sol a cada 133 anos. Quando o nosso planeta cruza com a órbita do cometa, em intervalos de 12 meses, encontra a nuvem de detritos deixada por ele, as Perseidas. Observada há quase dois mil anos, a chuva Perseida é uma ótima oportunidade de comunhão com o tempo e os nossos antepassados que também contemplaram a sua beleza, o material deixado em sua trajetória conta com mais ou menos mil anos. Por um momento, o tempo é inexistente e o mesmo céu que foi visto há anos atrás, é visto por você no agora.

O céu tem muita importância no desenvolvimento humano, por meio dele foi possível definir as grandezas que caracterizam a nossa sociedade. Provavelmente, o céu foi a primeira percepção que o homem teve ao observar a sua grandeza e constatar a existência de corpos celestiais que o ajudaram na demarcação do dia e da noite, das estações do ano e na sua direção por um caminho. Através da observação, prática importante para o desenvolvimento científico, foi que o homem percebeu a relação entre ele o céu. Hoje, o céu é pontuado por satélites que observam o cosmo e mostram pontos até então desconhecidos da humanidade. Já faz algum tempo que especula-se que não estamos sozinhos na imensidão do céu.

O universo se organiza em grupos de estrelas, galáxias, e em superaglomerados, intercalados por imensos vazios. Da Terra, o nosso ponto de referência, observam-se as estrelas e planetas, e numa noite escura pode-se observar de 1000 a 1500 aglomerados de estrelas, sendo que cada estrela pertence a uma constelação. Os antigos associaram os desenhos de humanos e animais a elas, formando o atlas celestial, separado em porções menores, os quadrantes, que servem para definir os períodos do ano e localização, alguns historiadores suspeitam que a introdução de história sobre as constelações foram necessárias para que os agricultores lembrassem quando era hora de plantar e colher. Essas constelações mudam conforme o tempo, algumas morrem e outras nascem, e em 1929 foi definido que há por volta de 88 constelações oficiais.

No hemisfério Sul, é possível perceber as Constelações de Escorpião, predominante em Julho, Órion que aparece em Dezembro e o Cruzeiro do Sul, símbolo do Brasil.

As Perseidas, nascem a partir da Constelação de Perseus, que é visível no Hemisfério Norte. Reza a mitologia grega que Perseu foi um grande herói que derrotou a Medusa contando com ajuda dos deuses. Ao lado da constelação de Perseus, há também as Constelações de Medusa e Andrômeda, que Perseu ajudou a salvar de um terrível monstro, por quem se apaixonou e com quem mais tarde se casou. A complexidade da constelação de Perseu condiz com a vida cheia de nuances e reviravoltas do grande personagem mitológico que lutou e amou de maneira intensa.

Referências:

Mensageiro Sideral

Introdução à Astronomia – INPE

 

 

No sábado, dia 08 de Agosto, nós do Pueri Domus tivemos o prazer de receber nossos alunos e seus pais, para comemorar o Dia dos Pais, todos juntos! Os registros fotográficos deste dia tão especial já está em nosso álbum “Dia dos Pais 2015” no facebook da escola.
Convidamos a todos para ver e relembrar estes momentos!

 

Rio de Janeiro, começo do século XX. Esse é o contexto em que um médico, tido por muitos como louco, começou a limpar a cidade, que antes não era a Cidade Maravilhosa, e sim, a Cidade da Morte ou Porto Sujo. Essa fama, concretizada pelas várias epidemias que vitimavam o Rio de Janeiro na época, afastava até mesmo as embarcações a atracarem em seus portos. A decição de limpar e vacinar a população, fez com que houvesse grande manifestações, chegando até mesmo a uma intervenção militar para conter a povo revolto.

O médico era Oswaldo Cruz, um visionário para época. De formação sanitarista, estudou no Instituto Pasteur, em Paris, e quando voltou ao Brasil, foi convidado pelo governo para mudar o quadro da cidade. Nesta época, o cenário da sociedade brasileira sofria mudanças com o fim da escravidão e a chegada de imigrantes vindos da Europa. A indústria começou a produzir, e isso contribuiu para o aumento desordenado da população nas cidades, que antes habitavam a zona rural. O cenário era de cortiços, favelas e ruas sujas, não havia a preocupação com higiene e muito menos com a saúde. As alterações provocadas pelo médico na cidade do Rio de Janeiro promoveram uma segmentação geográfica das classes populacionais, que não foram levadas em consideração naquele momento.

A fama do Oswaldo Cruz não era uma das melhores. Chamado de inimigo do povo por jornais e revistas da época, promoveu a organização do sistema de saúde e higiene, e algumas de suas medidas são empregadas até os dias de hoje. Erradicou a febre amarela, diminuiu casos de epidemias como a peste bubônica, varíola e tifo das cidades, com a implementação de medidas de higiene e prevenção.

O título de “Médico do Brasil”, não veio facilmente, pois, como vimos, houve muita resistência; contudo, ele estava certo. A importância de Oswaldo Cruz para o desenvolvimento da Ciência vai além das pesquisas, até o olhar social. Com redefinição da Cidade da Morte à Paris das Américas, a estrutura social também se alterou, formando a periferia da cidade. A preocupação de Oswaldo Cruz, enxergava as necessidades dessa população, propondo educação à ela e aposentadoria aos trabalhadores doentes.

Já que a modernidade não caminha sem a saúde do povo, Oswaldo Cruz viajou pelo interior do Brasil para entender como era a situação de inúmeras pessoas. Ele criou o Movimento Sanitarista, que mudou a concepção preconceituosa de algumas pessoas sobre raça e condição social. O instituto que leva seu nome, hoje é responsável pela fabricação de 70% das vacinas nacionais, fabricação de medicamentos básicos distribuídos pelo Sistema Único de Saúde, oferecendo à população carente medicamentos para o tratamento da AIDS. É responsável, ainda, por pesquisas sobre saúde.

O dia Nacional da Saúde, comemorado em 05 de agosto,  além de ser uma importante forma de conscientização da população em relação a várias ações, como a prevenção e higiene, também é uma homenagem ao médico Oswaldo Cruz.

Hoje, vive-se uma luta contra a Dengue e deve-se tomar como exemplo a experiência de Oswaldo Cruz, valorizando a importância da contribuição da saúde sanitária para conseguir erradicar não somente a Dengue e outros tipos de doenças, como a falta de conhecimento dos homens e da sociedade.

 

Referência:  #oldbutgold
Univesp

Blog da Saúde – Ministério da Saúde

  • (16) 3336 5333
  • |
  • contato@pueridomusararaquara.com.br
  • |
  • Avenida Vespaziano Veiga, 500 - Vila Harmonia
  • |
  • Araraquara - SP
Powered by WSI